01 de Maio de 2009

Gordon Brown por J. K. Rowling
TIME - abril de 2009
Tradução: Eduardo Rodrigues



Próximo a década de 1990, quando ele era um novo Trabalhista, intelectual de grande porte, eu era uma solitária mãe lutando para sobreviver. Ele disse que não estava interessado em estigmatizar aos pobres, mas sim na busca por soluções para a situação dos mesmos. Eu estava cansada de escutar os ministros do governo britânico nos designando como responsáveis por inúmeros fatos e nos chamando de aproveitadores. Eu queria Gordon Brown no cargo de Primeiro Ministro.

Ele tornou-se o Chanceler do Tesouro por maior tempo que a Grã-Bretanha já presenciou. Enquanto nossa economia cresceu vigorosamente, ele poderia não ter feito nada mas, pelo contrário, ele nos carregou para o sucesso e sucessivamente aumentou o salário mínimo britânico, também 600.000 crianças juntamente com um milhão de pessoas foram retirados da pobreza. Brown acredita que os ricos são capazes de cuidar de si mesmos, sendo que as pessoas que habitam em outro extremo da escala econômica que o governo deve fornecer ajuda.

Quando o capitalismo interviu em suas bases no ano passado, Brow teve de pronunciar palavras como responsabilidade e moralidade, sendo que os papéis foram movidos a partir dos políticos mais improváveis. O regulamento global de finanças, algo que Brown tinha defendido muito anteriormente, por volta do Setembro passado, disparou para o topo da agenda política não só dele, mas mundial. Agora, o Primeiro Ministro Brown assumiu o comando dos líderes europeus na fixação de um rumo para a recuperação econômica mundial. Ele também organizou a reunião mais importante do mundo juntamente com as principais economias globais. Ao fazê-la, a imprensa britânica divulgou que ele tinha tornado-se o "Chanceler para o mundo".

O filho de um ministro presbiteriano, com um formidável intelecto e uma ética de trabalho incentivadora até aos ninhos de formigas, Brown aos seus 58 anos de idade é frequentemente apelidado como "severo". Eu o conheço como afável, engraçado e muito social, um grande ouvinte, um amigo simpático e leal. Em tempos estranhos e turbulentos como os que vivemos, ainda resitem as questões de lealdade, igualdade e proteção dos mais pobres. Eu ainda quero Gordon Brown no cargo.


Rowling é a autora da grandiosa série Harry Potter.

Fato rápido: Aos 10 anos, o futuro Primeiro Ministro convidou um famoso ladrão da localidade para jantar na casa de sua família.

publicado por MarianaPotter às 21:03 link do post
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
arquivos
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
este filme fica cada ves mais ruim
Realmente --'Mas Harry Potter sobrevive, somos gra...
Nossa se ele acha que vai acabar com blogs do hp a...
blogs SAPO